quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Biblioteca Reitor Antonio Celso Alves Pereira comemora 10 anos


A Biblioteca do Centro de Ciências Sociais C, que atende ao curso de Direito, comemora 10 anos e aproveita a ocasião para lançar o “Catálogo de Obras Valiosas” com evento no dia 11 de dezembro, no salão da biblioteca, 7° andar, bloco C, sl. 7002 Pavilhão Reitor João Lyra Filho.

Por Leila Andrade

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Exposição de fotografias celebra a arquitetura da Uerj.

Será inaugurada hoje na sala de exposições do Núcleo MID, a exposição fotográfica "Uerj - Uma Arquitetura Sensível". Coordenada pelo Professor e Fotógrafo Roberto Cuíca, a exposição apresenta fotografias do campus do Maracanã feitas por alunos da UnATi. A mostra estará em exposição até o dia 29 de janeiro de 2010.



Enviado Por Marcos Vasconcelos.

Estado quer biblioteca pública modelo

Espaço no Centro vai ganhar terreno e deverá se tornar referência nacional em tecnologia no Rio
Livros empoeirados e cadeiras vazias deixarão de ser realidade na Biblioteca Pública do Estado do Rio de Janeiro(BPE).



O espaço, na Av. Presidente Vargas, no Centro, vai passar por reformas e ganhar terreno equivalente a 50% de seu tamanho atual, crescendo de 10 mil para 15 mil m². A meta é torná-la referência nacional em tecnologia.
Interior da biblioteca será reformado para atrair mais leitores jovens
Cerca de 680 m² de terrenos vazios na Rua da Alfândega e um prédio comercial da Praça da República estão em processo de desapropriação para as obras, que começam ainda este mês. O prazo para a conclusão é de 1 ano e 3 meses. Dividida em setores, a nova biblioteca terá ambientes para exposições, coleções particulares, leitura de jornais e revistas, gibiteca, estudo e pesquisa. Também vai oferecer acesso livre à Internet, CDs e DVDs. Sala de leitura em Braille e estúdio para gravar livros falados serão montados para cegos.
Os jovens terão espaço garantido: sala com proteção acústica para que possam falar à vontade. O setor Rio de Janeiro será criado para cariocas e turistas conhecerem melhor o estado. Cinema, biblioteca infantil, salas de aula, restaurante e estúdio musical serão outros atrativos. “Vai dar acesso irrestrito, universal e gratuito ao conhecimento e à informação”, promete a secretária de Cultura, Adriana Rattes, acrescentando que o local terá encenações teatrais e versão digital de consulta a livros.

Fonte: O Dia online.

Por Luciana Avellar

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Plástico: Impactos Ambientais

Confira a Palestra do Professor Jairo Leal sobre os impactos catastróficos do uso indiscriminado de sacolas plásticas, no ciclo de palestras promovido pela SRH.
Por Luciana Avellar

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Governo quer zerar municípios sem biblioteca até junho de 2010

Brasília - Três em cada quatro brasileiros não frequentam bibliotecas. Para reverter este quadro, ampliar o acesso ao livro e formar novos leitores, o Ministério da Cultura aposta na construção e modernização de bibliotecas municipais. A meta, segundo o diretor do Livro, Leitura e Literatura do Ministério da Cultura, Fabiano dos Santos, é zerar, até junho de 2010, o número de municípios sem biblioteca - desde 2004, 1,2 mil foram implantadas e mais mil foram modernizadas nos últimos dois anos."Um acervo desatualizado e pouco atraente não ajuda. É preciso transformar as bibliotecas em espaços culturais, fazer do cartão da biblioteca um passaporte para o universo literário, e não mantê-las como meros depósitos de livros", disse Fabiano dos Santos.
A pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, feita com 5.012 pessoas em 311 municípios em 2007, revela que o brasileiro não frequenta bibliotecas. Esta foi a resposta dada por 73% dos entrevistados, que representam 126 milhões de pessoas. Os argumentos vão desde a falta de interesse ou hábito pela leitura (24%) à ausência de uma biblioteca próxima (16%). Mesmo os leitores não têm o hábito de ir à biblioteca, como afirmaram 58% dos entrevistados, que representam 55 milhões de brasileiros.Por outro lado, 52,8 milhões ou 55% dos leitores entrevistados informaram que, além de emprestar livros, usam as bibliotecas como ambiente de pesquisa e estudo. Já 15,9 milhões de brasileiros leitores ou 17% dos entrevistados vão às bibliotecas para ler por prazer. Para atingir a meta de zerar o número de municípios sem biblioteca, o governo federal contratou a Fundação Getulio Vargas para fazer um mapeamento. O problema, de acordo com o diretor do Livro, Leitura e Literatura do MinC, é que nem todas as administrações municipais são parceiras. "Depois de uma eleição, é comum ver a antiga biblioteca da cidade transformada em posto de saúde", disse Fabiano dos Santos.

As informações são da Agência Brasil no site do jornal O Dia online.

Por Bruno Arêas

terça-feira, 24 de novembro de 2009

MEIQ - Manual Econômico da Indústria Química: Apresentação


O MEIQ- Manual Econômico da Indústria Química é uma publicação técnica editada com objetivo de fornecer informações básicas para o planejamento estratégico e tomada de decisões para a implantação e/ou ampliação de unidades industriais nos setores químico e petroquímico.

É uma obra de importância nacionalmente reconhecida, devido à excelência e confiabilidade das informações, em nível equivalente ao Economic Handbook, do Stanford Research Institute, e com uma aceitação inquestionável.

O MEIQ quando usado em apoio a estudos de viabilidade técnica-econômica assim como para identificar oportunidades de investimento, constitui um marco básico de sucesso.

É composto essencialmente de dados de produção, importação, exportação e perspectivas mercadológicas para Produtos Químicos Orgânicos e Inorgânicos, além de Matérias-Primas e Grupos Químicos-Volumes I,II e III.

Teve sua primeira edição em 1975. Encontra-se atualmente em sua 8ª.edição.
Enviado Por Luciana Avellar.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Patrimônio de bibliotecas sofre na mão de usuários

A falta de educação pode acabar com um dos maiores patrimônios da Universidade Federal do Espírito Santo. Veja na reportagem de André Junqueira.

Na estante, em uma das bibliotecas da Universidade Federal do Espírito Santo, tem histórias de horror para quem trabalha com educação. Os livros são vítimas. O vilão, os próprios usuários. O descuido acontece a todo momento.

Acontece de tudo. O livro levado para casa voltou com uma mordida de cachorro. O tratado de medicina foi usado como guarda-chuva. Quem fez isso se protegeu da água, mas deixou o livro empenado e páginas coladas umas nas outras. Foram alunos, que vão ter que pagar o prejuízo.

"A cada semestre, ele tem que fazer nova matrícula. Então ele é bloqueado enquanto tiver alguma pendência com o sistema da biblioteca", avisa Arlete Franco, diretora da biblioteca.

Os livros também sofrem com ataques inexplicáveis. O romance perdeu a graça com páginas rasgadas. Do livro de direito, páginas foram arrancadas. E na publicação de filosofia, o que é mais importante? Praticamente tudo foi riscado com caneta marca texto. Em outras bibliotecas ligadas à universidade, mais livros que não resistem ao descaso.

“Toda semana a gente manda pelo menos 10 livros para a restauração”, conta a bibliotecária
Genaide Gozi.

Fiscalizar todos que entram na biblioteca é praticamente impossível. Por aqui, passam todo dia, mais de duas mil pessoas. Não é difícil encontrar nas prateleiras livros só com a capa e a contracapa. O conteúdo inteiro foi levado embora. A capa ficou junto com o adesivo que aciona o alarme na saída. Outros livros foram levados do mesmo jeito.

Na sala de conserto, tem trabalho todo dia. Há anos Vera faz isso. Não consegue se acostumar.

Há anos, a universidade faz campanhas. Há anos, o problema persiste. Quem não se importa, pode prejudicar estudantes como Lucas. Muito do que o futuro administrador precisa ler, ainda não está disponível na internet.

"Eu sou uma pessoa que se dependesse para comprar livro na livraria, não teria condição", diz.

Hoje, quase dois mil livros da Universidade Federal do Espírito Santo estão fora de uso e devem ser restaurados.

Link para o vídeo da matéria

Por Ana Cristina da Silva

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UERJ

No início do mês corrente, a Rede Sirius atingiu a marca de 500 teses/dissertações incluídas na BDTD/UERJ. Esse cômputo corresponde a parte da produção acadêmica dos programas de pós-graduação da UERJ, no período de 2006 a 2009. Essa conquista resulta de um esforço conjunto, com destaque para os bibliotecários responsáveis pela alimentação da BDTD que, com empenho e competência, tomaram a si mais esse desafio.

Rosane Lopes Machado
Coordenadora NProtec

Bibliografia comentada sobre Bibliotecas Digitais

Em artigo recentemente publicado no periódico DataGramaZero: Revista de Ciência da Informação - v.10, n.5, out/09 -, o prof. Murilo Bastos da Cunha, catedrático da Universidade de Brasília, apresenta uma bibliografia comentada sobre as principais fontes de informação sobre Bibliotecas Digitais, em seus vários aspectos. No tópico referente à Referência Digital, cita o trabalho das bibliotecárias Christina Bottari e Neusa Cardim, apresentado no 3. Simpósio Internacional de Bibliotecas Digitais, realizado em São Paulo, em dezembro de 2005.

Link de acesso ao artigo do prof. Murilo: http://dgz.org.br/out09/Art_01.htm

Vanda Lima

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

14 de Outubro - Dia Mundial da Normalização

Vocês sabiam que no dia de hoje, 14 de outubro, comemora-se o Dia Mundial da Normalização? A data é festejada mundialmente há 40 anos e pela ABNT, desde 1986. Nos dois primeiros anos os organismos internacionais de normalização apenas homenageavam, com cartazes, as pessoas que voluntariamente se dedicam à elaboração de normas técnicas. A partir de 1988, passaram também a adotar temas específicos. Já foram temas nos últimos anos: “As normas e o cidadão”, as “Construções Inteligentes e Sustentáveis” e este ano será dedicado às bruscas mudanças climáticas do nosso planeta, com o tema “Segurando a mudança do clima através de normas”.
Há um esforço concentrado dos três maiores organismos internacionais de normalização, a International Electrotechnical Commission (IEC), International Organization for Standardization (ISO) e a International Telecommunications Union (ITU), no sentido de
“[...] assegurar que governos, negócios e a sociedade estejam providos com as ferramentas necessárias para ajudar o combate à mudança do clima global e apoiar a redução de emissões de gases estufa, aumentando a eficiência de energia, enquanto facilita o desenvolvimento sustentável.” 1
Este é um momento também para refletirmos sobre a importância das normas e como elas se fazem presentes no dia-a-dia das pessoas, desde os aspectos mais simples do nosso cotidiano até os mais complexos. As normas contribuem para o bem estar das pessoas, orientando ações que objetivam a segurança da sociedade, o acesso à informação, à proteção ambiental, promovem a inovação tecnológica e servem para quebrar barreiras entre nações pobres e ricas.

Por Rosane Lopes

ProQuest Hospital Collection no Portal da Capes

Está disponível, para avaliação no portal de periódicos da Capes, o conteúdo da ProQuest Hospital Collection. A base reúne e indexa documentos sobre Medicina, Enfermagem e áreas afins. São 2.683 periódicos (2.246 com texto completo), sendo que 894 ainda não foram assinados pela Capes. Também podem ser acessadas 12 mil teses e dissertações, 300 vídeos com procedimentos de Enfermagem, 40 relatórios culturais, 12 livros de referência em Enfermagem, além de livros, vídeos e evidências.
Este conteúdo estará disponível para avaliação até o dia 13 de novembro. Se bem avaliada, a base pode ser assinada pela Capes.
Para mais informações sobre a base, clique aqui.
Comentários e sugestões podem ser enviados aos e-mails:
periodicos@capes.gov.br e comercial@latin.proquest.com.

Por Luciana Avellar

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Cursos gratuitos na FGV Online

A Fundação Getulio Vargas é a primeira instituição brasileira a ser membro do OCWC (Open Course Ware Consortium), o consórcio de instituições de ensino de diversos países que oferecem conteúdos e materiais didáticos de graça pela internet.Para ter acesso ao que o FGV Online oferece a você nesse Consórcio, veja as opções abaixo.
Tópicos temáticos introdutórios na área de Gestão Empresarial – carga horária de 8h
Gestão Ambiental e Desenvolvimento Sustentável – História da Questão Ambiental (novo!) Gestão de Marketing – Produto, Marca, Novos Produtos e Serviços (novo!)
Gestão da Tecnologia da Informação – TI nas Organizações: Estratégia e Conceitos (novo!) Estratégia de Empresas – Introdução à Administração Estratégica (novo!)
Técnicas de Gerência de Projetos – Gerenciamento do Escopo do Projeto (novo!)
Tópicos temáticos introdutórios na área de Metodologia – carga horária de 8h
Metodologia de Pesquisa – Conhecimento, saber e ciência (novo!)
Metodologia do Ensino Superior – Universidade e Sociedade (novo!)
Cursos em áreas de conhecimento diversas - carga horária de 15h
Ciência e Tecnologia Diversidade na Organização Ética Empresarial (novo!)
Recursos Humanos Cursos para professores do Ensino Médio – carga horária de 30h
Filosofia (novo!)
Sociologia (novo!)
Você já domina as novas regras ortográficas da Língua Portuguesa? Acesse nosso quiz para conhecê-las e, ao mesmo tempo, testar conhecimentos gerais: Quiz: Jogo das Novas Regras Ortográficas - Reconhecendo Texto e Contexto (novo!)

http://www5.fgv.br/fgvonline/CursosGratuitos.aspx

Transformação da topografia dos principais pontos do Rio de Janeiro, de 1500 até hoje

O portal da Prefeitura do Rio de Janeiro disponibiliza informações sobre a cidade. Nele está disponível um extenso acervo de estatísticas, mapas, estudos e pesquisas. No PortalGeo, são apresentados aplicativos de sistemas de informações geográficas, mapeamentos digitais e o acervo cartográfico. No Armazenzinho, crianças e jovens encontram jogos, curiosidades históricas e outras informações.Você pode baixar para seu computador tabelas, mapas e textos ou utilizar os aplicativos de tabulação de dados e mapas.

No portal existe um trabalho em computação gráfica mostrando toda a transformação da topografia dos principais pontos do Rio de Janeiro, de 1500 até hoje. Dependendo da velocidade de download de seu provedor, a navegação não é muito rápida no princípio (leva algum tempo carregando), mas vale a pena, pois a paisagem vai se alterando pouco a pouco.

Instruções:

1 - Abrir o site: http://portalgeo.rio.rj.gov.br/EOUrbana/

2 - Ao abrir, clicar no ícone 'Ilustrações' - Em cima, à esquerda, aparecerá o link 'Um passeio no tempo'. Clique e aguarde carregar. Vale cada segundo de espera. Vá seguindo a ordem.

3 - De volta ao menu principal, vá para 'Mapas'. Vocês verão a quantidade de morros derrubados e a área aterrada do Rio. A cidade é um aterro só!

4 - Não deixe de ler o histórico.

5 - Pode-se ainda ampliar as fotos
Enviado Por Luciana Avellar.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Assinada a Deliberação sobre a BDTD/UERJ

Após aprovação pelo CSEPE, a Deliberação 006/2009, que dispõe sobre a inserção de dissertações e teses na Biblioteca Digital de Teses e Dissertações - BDTD/UERJ, foi assinada pelo Reitor e encontra-se disponível para consulta, impressão e download no endereço http://boluerj.uerj.br/.
Agora as bibliotecas podem contar com mais este instrumento para incrementar a Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da Universidade.

Por Rosane Lopes

Bibliotecários da Rede Sirius têm seus artigos publicados em importantes revistas da área da Informação

Dois artigos escritos pelas bibliotecárias da Rede Sirius Simone F. Dib e Neusa Cardim, abordando os assuntos BDTD e Gestão de Pessoas, foram publicados pelas revistas Perspectivas em Ciência da Informação e Revista Informação & Universidade e encontram-se disponíveis nos sites abaixo:
PCIONLINE, Vol. 14, No. 2 (2009)
Disponível em: http://www.eci.ufmg.br/pcionline/index.php/pci
Competências em Unidades de Informação: metodologia para o desenvolvimento de equipes.

RevIU, Vol. 1, No. 0 (2009)
Disponível em: http://www.siglinux.nce.ufrj.br/~gtbib/site/
Atribuindo qualidade à biblioteca de teses e dissertações da UERJ: parceria entre docentes, discentes, bibliotecários e a coordenação da pós-graduação.

Por Rosane Lopes

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Para incentivar a leitura

O Centro Cultural da UERJ inaugura, na próxima quarta-feira, às 10h, o Espaço 2 por 1. O objetivo é a troca de livros pelos funcionários, estudantes e professores da Universidade (comunidade interna). A regra é trazer dois livros para trocar por um. Serão aceitos livros das mais diversas áreas, como: artes, literatura nacional e estrangeira, poesia, biografias, ciências sociais e humanas, infanto-juvenil, entre outros. A única restrição do espaço são os livros didáticos de 1º e 2º graus. Já estão catalogadas 1.689 obras de acervo inicial.
O diretor do Departamento Cultural e idealizador do projeto, Ricardo Gomes Lima, ressalta que o livro usado, com menor valor no mercado, vale muito para quem precisa dele. “Todos temos uma biblioteca morta em casa. Livros que não lemos mais, alguns de graduação, que podem ser interessantes para outras pessoas. Hoje em dia, os alunos falam da dificuldade para adquirir novos livros e por isso pretendemos incentivar a troca. O acervo pode ser duplicado com isso”, enfatiza.
O Espaço 2 por 1 localiza-se na sala 1, do Centro Cultural da UERJ. Outras informações pelo telefone 2334-0625.

Fonte: Site da Uerj
Por Luciana Avellar

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Apresentação na biblioteca de medicina.

No dia 08 de outubro de 2009, quinta-feira, das 9h às 12h na Biblioteca CB/A (Pav. Américo Piquet Carneiro, 2º andar), haverá uma apresentação, promovida pela empresa ProQuest, de seus catálogos on-line de medicina. Este conteúdo é de interesse de estudantes e profissionais da área. Maiores informações podem ser obtidas no site da empresa.


Por Marcos Vasconcelos

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Políticas de aquisição de acervos: uma perspectiva crítica e social

O Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast) discutirá, durante o próximo encontro do Mast Colloquia 2009, no dia 22 de setembro, no Rio de Janeiro, o tema “Políticas de aquisição de acervos: uma perspectiva crítica e social”.
O que preservar, para que preservar e como preservar são algumas questões que a museóloga Solange Godoy, ex-diretora do Museu Histórico Nacional, levantará na ocasião.
A historiadora, que contribuiu para a implantação de diversos museus brasileiros, falará ainda sobre as políticas de aquisição nas últimas décadas no Brasil e mostrará um estudo de caso sobre o Museu Histórico Nacional. A entrada é gratuita.
Após a palestra, Solange lançará o livro O avô do tempo. Diário de um meteorologista, que reúne histórias e tece a memória da família Sampaio Ferraz, de classe média urbana do Rio de Janeiro do século 20.
O ciclo anual de palestras Mast Colloquia é realizado desde 1996 e aborda temas relacionados às áreas de atuação do museu: o estudo da história das ciências e das tecnologias no Brasil e a preservação de acervos documentais e instrumentais de importância histórica.
Mais informações: www.mast.br
http://www.mast.br/mast_colloquia_setembro2009.htm

Por Thais Vieira

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Novidades na Biblioteca CEHA

No mês de setembro de 2009 a Biblioteca CEH-A foi contemplada com recursos da FAPERJ referentes ao projeto submetido pela Profa. Elisabeth Macedo da Faculdade de Educação. Tais recursos possibilitarão em breve, a renovação do mobiliário, a aquisição de equipamentos de informática e a instalação de uma rede Wi-Fi na área da biblioteca.

Postoda por: Equipe da Biblioteca CEHA

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Bibliotecária da Rede Sirius, Eny Pires, apresenta oficina na Bienal do Livro




Uma girafa feita de livros - de três metros e sessenta de altura, sofás e pufes "recheados" de obras literárias, debates, oficinas de arte, cultura e educação - são algumas novidades que o público vai encontrar no estande das secretarias de Cultura e Educação, no Pavilhão Verde da XIV Bienal do Livro, no Riocentro. Durante a programação, será apresentado o projeto de modernização e requalificação da Biblioteca Pública do Estado (BPE) e os principais programas desenvolvidos pela Superintendência de Bibliotecas da Secretaria de Cultura nas demais bibliotecas públicas do estado.

De 10 a 20 de setembro, crianças, jovens e adultos, vão ser presenteados com muita música, teatro, animação e a viagem ao mundo da leitura tem destino certo através das histórias de: "O Menino Maluquinho", de Ziraldo; "Jacaré Lelé", de Felisberto Léo e Marcela Ribeiro; "Poesia e Prosa", de Manuel Bandeira; "A velhinha Maluquete", de Ana Maria Machado e muitas outras personalidades do universo literário.
Debates de Atualidades (economia, história, valores, cultura), Animação no Mover Maker, Biblioterapia - páginas abertas para a fantasia (imaginação dirigida), Teatro de Bonecos, Origami, Animando com Stop Motion, Matemática e Histórias em quadrinhos, serão algumas das atrações desenvolvidas pelos dinamizadores, no estande. O avanço das novas tecnologias vai ser representado através do Site Wikipédia e da Literatura infantil do livro digital. As apresentações de Tai Chi Chuan e Consciência Corporal têm o intuito de aliar corpo e mente em uma só sintonia e as apresentações de teatro, prometem trazer muita cultura, educação e entretenimento para o público presente.
O estande fica localizado no Pavilhão Verde (Rua Q - Número 7) e foi projetado pela N Idéias. O livro é utilizado no projeto como um "tijolo" um elemento de construção da cultura. Como um lego, ele se organiza e ganha diferentes formas: de ícones da literatura, lugares e etc. O layout tem o papelão como material principal por conter características com significados diversos: remete ao infantil, transmite simplicidade e, ao mesmo tempo, passa ousadia e modernidade. Além disso, papelão é reciclado e reciclável, apoiando assim, a sustentabilidade.
Como ressalta, Vera Saboya, superintendente de Bibliotecas da SEC:
- O estande ficou lindo e é 95% reciclável! O conceito é literatura, reciclagem e educação. Esse é o espírito da Superintendência. Pensamos a literatura como uma escrita que se revela em todas as expressões artisticas: arte, natureza, imagem, musica, fala, dança e a escrita. Nossas novas bibliotecas terão espaços para a expressão artística, para a fala literária de todos os tipos de arte. Na tela do estande temos uma apresentação do novo conceito de Biblioteca Pública e das Bibliotecas do PAC.
Lembrando que, durante a programação da Bienal, vai acontecer o seminário A Viagem da Leitura, na próxima terça (15/09), de 9h às 17h30, no Auditório do Pavilhão Verde. Palestras com representantes do universo literário, educacional e tecnológico. A ficha de inscrição e a programação completa do evento encontram-se disponíveis no site da BPERJ http://www.bperj.rj.gov.br/. As inscrições são gratuitas e também podem ser feitas através do e-mail bibliotecapublica@bperj.rj.gov.br ou fax (21) 2333-1415. As vagas são limitadas e o cadastro encerra-se nesta sexta-feira (11/09).


Por Luciana Avellar

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

13º Curso Informativo sobre Preservação de Acervos Bibliográficos & Documentais 2009


Estão abertas as inscrições para o 13º Curso Informativo sobre Preservação de Acervos Bibliográficos & Documentais que se realizará de 19 a 28 de outubro de 2009 na Biblioteca Nacional.


Programação:O Curso Informativo sobre Preservação compõe-se de duas etapas. O certificado só será fornecido aos participantes que cumprirem as duas etapas.
1º etapa:Período / Horário / Local:De 19 a 23 de outubro,Segunda e Sexta: das 13 às 18h. Terça e Quinta: das 9 às 18h. Quarta: das 9 às 15h. Semana de palestras técnicas no Auditório Machado de Assis – Prédio Sede da Biblioteca Nacional – entrada pelo jardim da Rua México.
2º etapa: Período / Horário / Local: De 26 a 28 de outubro, das 10:00 às 18:00 hs Estudos de casos nos Laboratórios de Conservação, Restauração, Microfilmagem, Fotografia e Digitalização.Prédio Sede - 1º andar - entrada pela Rua México

Arquivos disponíveis para download:


Diretrizes para inscrição:
1º) Número de vagas disponíveis: 70 vagas.
2º) Valor da inscrição: 350,00 reais.
3º) Depósitos em nome da: Fundação Miguel de Cervantes. CNPJ Nº: 05,214,413/0001-92 Banco Real Agência: 0140 C/C: 2736286-8. End. Av. Rio Branco, 219 – Centro/RJ – Cep. 20.040-008 – Tel:. (21) 3095-3808
4º) Para confirmar a inscrição o candidato deverá enviar o comprovante do depósito através do fax (21) 3095-3831.
5º) Os candidatos receberão apostila técnica e certificado de participação.6º) Contatos: e-mail: preserve@bn.br Tel.: (21)2220-1973 / 2220-1906 / 3095-3830.


Por Luciana Avellar

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Bienal do Livro

Terá início no dia 10 de setembro de 2009 a XIV Bienal do Livro do Rio de Janeiro, no Riocentro. Um dos maiores eventos literários do país, a Bienal é - segundo o site do evento - "um grande encontro que tem o livro como astro principal". Nos onze dias do evento, que ocorrerá até o dia 20/09, o público terá contato com uma grande exposição de livros, livrarias e editoras, além de poder participar de debates e bate-papos com personalidades da literatura. Para as crianças, haverá atividades recreativas e culturais que buscam promover a leitura. Para os leitores, a Bienal é uma grande oportunidade de se aproximarem de seus autores favoritos, além de conhecer outros.
Todas as informações sobre a Bienal estão disponíveis no site do evento.

Por Marcos Vasconcelos.

Oficinas de Leitura

O Centro Cultural da Ligth, em parceria com a Biblioteca Pública do Estado do Rio de Janeiro, convida a todos para as Oficinas Nipo-Brasileira e de Leitura e Expressão. As oficinas tem o objetivo de exercitar a leitura e são um espaço de livre expressão.
No dia 27 de agosto às 15h30, a Bibliotecária da CTC/C, Eny Pires dos Santos fará palestra sobre Biblioterapia.
O Cento Cultural da Light fica na Avenida Marechal Floriano, 168 - Centro.
Para maiores informações: http://www.bperj.rj.gov.br/

Por Luciana Avellar

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Postura inadequada e estresse agravam a LER (Lesão por Esforço Repetitivo)

Uma doença continua a afligir o trabalhador do século XXI, obrigado a utilizar o computador cotidianamente: a Lesão por Esforço Repetitivo (LER). Atualmente denominada como Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (Dort), a LER atinge músculos, nervos e tendões. “Em princípio, provoca incômodo e irritação na área afetada, chegando a causar inflamação, quando não é diagnosticada a tempo”, explica Maria Celina Muniz Barreto, engenheira de segurança do trabalho do Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho da UERJ (Dessaude).
A especialista explica que essas lesões ocorrem principalmente nos membros superiores, mas podem afetar qualquer área do corpo, no sistema músculo-esquelético, que receba sobrecarga. “O problema ocorre em situações contínuas de esforço, que podem ser por movimentos repetidos ou por ação de força excessiva, agravadas pela condição inadequada da postura e até pelo estresse no trabalho”, observa. O problema pode afetar o ser humano mesmo em situações que não estejam relacionadas ao trabalho; “como as atividades esportivas, execução de instrumentos musicais e até estudantes que carregam mochilas muito pesadas”, alerta Celina. Para ela, uma maneira saudável de prevenir a LER é a prática de exercícios físicos que possibilitem o relaxamento muscular, o fortalecimento do sistema músculo-esquelético e a correção da postura inadequada.
DICAS – O Dessaude indica alguns procedimentos que podem ajudar a prevenir a doença:
- interrompa a digitação por 10 minutos a cada 50 minutos de trabalho ininterrupto.
- Levante-se e se estique; - posicione o monitor diante do tronco, em altura suficiente para manter os olhos na parte superior da tela;
- a superfície de apoio para o mouse e teclado deve ter altura que possibilite o posicionamento dos braços, com ângulo máximo de 10º em relação à base;
- a cadeira deverá ter estrutura ajustável, com cinco pés em rodízios. O assento e o encosto devem permitir o apoio da coluna lombar, possibilitando uma suave inclinação do tronco para postura de relaxamento. Os pés devem ficar apoiados no chão, sem a flexão dos joelhos para trás;
- diante do computador, mantenha a postura de quem descansa em posição sentada, com as mãos apoiadas em superfície próxima às pernas e o tronco levemente inclinado para trás, sempre com o quadril no fundo do assento;
- reveze as posturas e alterne as tarefas, buscando identificar um ritmo adequado para a jornada;
- posicione apropriadamente o material a ser utilizado para proporcionar conforto e uma boa movimentação no posto de trabalho.

Para saber mais:

http://www.ergonomia.com.br/htm/dicas.htm
http://www.areaseg.com/ergonomia/25dicas.html

Por Luciana Avellar

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Revista Informação & Universidade




Lançada neste mês pela Comissão Brasileira de Bibliotecas Universitárias - CBBU a revista eletrônica Informação & Universidade. A revista tem como proposta ser um espaço para debates e para apresentação dos novos desafios que surgem para os profissionais da informação que atuam em universidades.

http://www.siglinux.nce.ufrj.br/~gtbib/site/

Por: Teresa Silva

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Exposição na Biblioteca CTC/D

A abertura da exposição "Paisagens Cósmicas: da Terra ao Big Bang", em comemoração ao Ano Internacional da Astronomia acontecerá no próximo dia 21 de julho às 16h, com comentários do Prof. Dr. João Batista Garcia Canalle. A Equipe da CTC/D ficará orgulhosa com a presença de todos. Estamos esperando por vocês.

A exposição estará aberta do dia 21 de julho ao dia 28 de agosto de 2009, no salão de leitura da Biblioteca CTC/D, no horário de 8 às 21h.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Era digital transforma bibliotecas

Artigo interessante sobre o impacto das Novas tecnologias da Comunicação e informação. Traduzido do New York Times.

Era digital transforma bibliotecas
Monnie Nilsson
Em um mundo que cada vez mais troca o papel pelos pixels, as bibliotecas estão se recriando.
Estão se transformando em centros comunitários e em bancos de empregos. Começam a realizar empréstimos de publicações por via eletrônica, e estão divulgando seus serviços de uma maneira que representa um desafio às livrarias comerciais, as quais agora precisarão encontrar maneiras novas de manter a competitividade. E estão até mesmo oferecendo aos visitantes a oportunidade de entrar só para jogar videogames.

Embora a reputação que as bibliotecas continuam a manter como centrais de conhecimento característico da era do livro continue intacta, existem modelos mais novos - modelos que giram em torno de uma experiência mais próxima ao mundo do consumo - que começam a ganhar espaço no mundo da biblioteconomia.

Da mesma maneira que algumas empresas incorporaram a suas operações uma abordagem mais colaborativa, integrando sugestões de funcionários e pedidos de clientes, as bibliotecas também evoluíram de acordo com as influências práticas que recebem. Incorporando novos recursos tecnológicos, elas estão transformando o fluxo de informações que se desenvolve entre a instituição e os usuários em uma via de duas mãos. O serviço que prestam se tornou mais interativo e ganhou um foco muito mais variado do que costumava acontecer no passado.

Algumas dessas ofertas podem ser motivo de surpresa e outras não, mas de qualquer maneira gostaríamos de convidá-lo para verificar por si mesmo o que está acontecendo nesse setor.
Serviços de download
Qual é a novidade: a biblioteca local "digital".

De que se trata: Recursos e serviços de biblioteca disponíveis online, e acessíveis a qualquer usuário por meio de um cartão de biblioteca.

Quem estaria interessado: As pessoas que desejem obter materiais e/ou recursos de uma biblioteca sem precisar sair de casa.

Onde se pode encontrar: A maioria das bibliotecas oferece muitos elementos de serviço digital.
Consulte a sua biblioteca local para se informar melhor. Na maioria dos casos, só são necessários uma conexão de internet e um cartão de biblioteca válido.

Caso você deseje ler um livro, pode baixá-lo e lê-lo em seu computador. Se preferir um audiobook, não há problema. Pode baixar um título digital em formato WMA ou MP3, ou carregar arquivos de áudio para um CD. Para quem desejar assistir a um filme, downloads também são possíveis. Algumas bibliotecas permitem até mesmo o download de certos arquivos de música.

Esses downloads digitais expiram automaticamente (e avisam o usuário de que deve eliminar os arquivos em sua máquina para evitar o pagamento de multas por atraso na devolução).

Recursos de negócios
Qual é a novidade: Apoio e informações para empresas.

De que se trata: Acesso a ferramentas de pesquisa de negócios de alto nível e a materiais especializados de referência para empresas.

Quem estaria interessado: Todos aqueles que estiverem se preparando para abrir uma empresa, ou que estejam tentando promover o crescimento de suas companhias; também, pessoas interessadas em pesquisas de negócios.

Onde se pode encontrar: A maior parte das grandes bibliotecas municipais e das bibliotecas centrais de distritos oferecem acesso a muitos bancos de dados de negócios. Muitas bibliotecas de menor porte e filiais de grandes bibliotecas oferecem o mesmo tipo de serviço. Verifique se estão disponíveis na biblioteca mais próxima de sua localização.

Detalhes: Por exemplo, a Biblioteca Pública de Denver oferece o BizBoost, um serviço de assistência para a pesquisa de soluções de negócios. Os especialistas em materiais de referência empresariais que trabalham para o serviço podem ajudar a responder questões de negócios ou demonstrar de que maneira um usuário pode empregar os poderosos bancos de dados de negócios disponíveis, a exemplo do ReferenceUSA - o qual permite que os usuários descubram, por exemplo, o número de consultores publicitários que trabalham de escritórios caseiros em um determinado código postal, ou quantas empresas de varejo estão localizadas em uma determinada área geográfica e têm, ao mesmo tempo, 10 ou menos funcionários, um endereço de e-mail e pelo menos uma executiva mulher.

O BusinessDecision é outro pacote de banco de dados de alta qualidade, capaz de executar análises sofisticadas como a identificação de padrões de consumo em base domiciliar, selecionar uma combinação de táticas de marketing, analisar concorrentes e descobrir como direcionar campanhas de mala direta. Esses e outros bancos de dados podem ser utilizados por acesso remoto de qualquer computador instalado na biblioteca, por usuários que disponham de cartões de biblioteca válidos.

Verifique o site de sua biblioteca local para descobrir que recursos estão disponíveis em sua área, ou use seu acesso para utilizar os serviços mencionados acima.

Compras gratuitas

Qual é a novidade: O novo modelo de biblioteca "de varejo" ou "livraria".

De que se trata: Uma biblioteca cuja disposição física, estoque e serviços se assemelham aos oferecidos por uma livraria.

Quem estaria interessado: As pessoas que gostam de best sellers e de livros de lançamento recente, aquelas que apreciam a atmosfera de uma boa livraria ou aquelas que acreditam que a combinação entre livros e café é deliciosa.

Onde se pode encontrar: Muitos distritos de bibliotecas em grandes áreas metropolitanas e serviços de bibliotecas municipais que foram projetados de acordo com esse modelo.
Detalhes: Muitas vezes localizadas em ou perto de grandes centros de varejo, as bibliotecas construídas no "modelo livraria" contam com forte acervo de livros, discos e DVDs novos. Nessas bibliotecas, o clima jovem é evidente, e não se vê muita poeira e mofo. Cópias múltiplas de best sellers estão expostas em estantes de visual atraente, da mesma maneira que um usuário encontraria em uma livraria. Todos os materiais são gratuitos e, para as pessoas que têm forte necessidade de cafeína, o modelo muitas vezes inclui cafés instalados como parte da biblioteca.

Procure um emprego

Qual é a novidade: Informações sobre empregos e carreiras.

De que se trata: Assistência na preparação de currículos, informação sobre empregos, testes preparatórios.

Quem estaria interessado: Qualquer pessoa que esteja procurando emprego ou interessada em mudar de carreira.

Onde se pode encontrar: Na biblioteca pública mais próxima de sua casa, ou no site dela.
Detalhes: Em meio a uma recessão como a atual, a busca de empregos, e a assistência para preparar currículos e aos estudos para testes educacionais e de emprego se tornaram necessidade para número cada vez maior de pessoas. Aulas, testes, oportunidades de emprego e links para sites de emprego estão disponíveis gratuitamente na maior parte das bibliotecas públicas.

Além disso, se você está planejando passar por um exame de admissão universitária ou de curso de pós-graduação (ACT, SAT ou GRE), obter seu diploma de equivalência de segundo grau (GED), prestar exame para o serviço civil ou obter licença para trabalhar em setor específico, muitas bibliotecas oferecem testes práticos gratuitos por meio de um banco de dados online chamado Learning Express Library. Os usuários recebem resultados instantâneos para os testes e podem se conectar de casa.

Explore seus interesses

Qual é a novidade: Ainda mais eventos e cursos.

Quem estaria interessado: Qualquer pessoa interessada em aprender algo de novo.

Onde se pode encontrar: Listas de eventos e cursos estão disponíveis na seção de eventos de sua biblioteca, ou consulte a biblioteca local.

Detalhes: Além de cursos de alfabetização e de leitura, bibliotecas oferecem exposições de arte, cursos sobre encontros online, shows, filmes, mostras de carros esporte e cursos de tricô.
A maior parte das bibliotecas distritais e municipais oferecem exposições temporárias gratuitas de arte e história.

Para os adolescentes

Qual é a novidade: Jogos.

De que se trata: Sessões e torneios de videogames e jogos interativos.

Quem estaria interessado: Adolescentes e seus pais.

Onde se pode encontrar: Na biblioteca local.

Detalhes: Um dos resultados dos esforços de promover diversidade nas bibliotecas é a tecnologia de videogames hoje disponível nas alas para jovens. A maioria das bibliotecas municipais e distritais agora oferece lugares para que adolescentes joguem videogames. O pessoal dos 11 aos 18 pode participar de desafios e torneios virtuais, e algumas bibliotecas têm funcionários para cuidar desses eventos. O site de sua biblioteca local deve oferecer mais informações.
Apelo aos clubes do livroMuitas bibliotecas criaram programas para clubes de leitura sob os quais um participante pode apanhar diversas cópias de um mesmo livro como empréstimo por seis semanas. A Biblioteca Pública de Boulder, por exemplo, permite 10 cópias por pessoa em seu programa "Books in a Bag".

Tradução: Paulo Migliacci ME
The New York Times

Fonte: Terra Tecnologia em: http://tecnologia.terra.com.br/interna/0,,OI3865351-EI4802,00-Era+digital+transforma+bibliotecas.html

Enviado por Alberto Calil Júnior.

sexta-feira, 3 de julho de 2009

I Encontro de Bibliotecários da Rede Sirius

Nesta próxima terça-feira, dia 07 de julho de 2009, acontecerá o I Encontro de Bibliotecários da Rede Sirius, promovido pela Direção da Rede e organizado pelos núcleos PLANAD e MID. O encontro será uma mostra de relatos de experiências em capacitação dos profissionais bibliotecários da Rede Sirius. Em um dia de palestras, serão compartilhadas vivências relativas a trabalhos e eventos de capacitação. O encontro é voltado principalmente para os profissionais e estagiários de biblioteconomia da Rede.

O evento será realizado no Auditório Pedro de Cesare, na Faculdade de Geologia - Bloco A - 2º Andar do Pav. Reitor João Lyra Filho. As inscrições podem ser realizadas através do email redesirius@gmail.com.

Por Marcos Vasconcelos

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Reflexões sobre a questão da regulamentação

Navegando por blogs ligados às bibliotecas capturei uma postagem que achei interessante. Reproduzo abaixo:


Assistindo a toda a discussão que se faz em torno da regulamentação da profissão de jornalista, deparo com a seguinte afirmação do Ministro Gilmar Mendes: “Ela vai suscitar outros debates em relação a outras profissões regulamentadas“. E ainda: “Se não houver necessidade de conhecimento científico, (o pré-requisito do diploma) vai ser considerado inconstitucional“. Isso me fez observar qual a lista de profissões regulamentadas segundo a CBO.Penso que um eventual questionamento sobre a regulamentação de nossa profissão é possível. Há países que a profissão não é regulamentada (a Argentina, por exemplo).
Qual a opinião de vcs? Seria bom ou prejudicial?

Fonte: http://bsf.org.br/

Postado por Alberto Calil Junior

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Professor monta biblioteca em carrinho de supermercado no interior de SP

Um professor de Ipiguá, a 457 km de São Paulo, desenvolveu uma forma criativa de estimular as pessoas a ler no município. A cidade de 3,9 mil moradores não tinha nenhuma biblioteca. A solução foi levar os livros às casas dos moradores em um carrinho de supermercado.

A realidade de Ipiguá é a mesma de 840 municípios do país. Mas o professor José Roberto da Silva achou que poderia mudar um pedaço desse quadro. Primeiro, organizou uma gincana na escola, com a tarefa de arrecadar livros usados. “Nós arrecadamos 1.036, e dividimos em infantil, infanto-juvenil, adulto e gibis”, conta o professor.

Depois, foi só contar com a ajuda de um grupo de alunos, arrumar um carrinho de supermercado e estava criada a biblioteca ambulante, que percorre a cidade em busca de novos leitores. A chance de poder emprestar um livro na porta de casa é um incentivo a mais para a leitura. Em dois meses de trabalho, o grupo já vê os resultados: foram emprestados quase 300 livros.

De porta em porta, uma das alunas faz a propaganda, explicando que o grupo passa na casa depois de 15 dias para buscar os livros. Empurrar o carrinho é tarefa para o estudante Daniel Vargas, o maior da turma. “Anda, cansa um pouco, a gente tem hora que para um pouquinho para descansar. Mas vale a pena”, afirma.

As fichas são organizadas, e trazem uma oportunidade para quem gosta de ler. “Às vezes eu estou triste, daí abro os meus livrinhos e muda tudo. Já saio, vou tomar um cafezinho”, conta a aposentada Luzia dos Santos.

Quem não lê há muito tempo também retoma o hábito, e quem está começando a ler já começa com o pé direito. Na calçada mesmo, um menino se encanta com as figuras do livro. “É um ótimo começo, ele está a prendendo a ver, a identificar as figuras, logo as palavras, e vai pegar gosto pela leitura”, conta o pai da criança.

O menino Lucas, de 8 anos, é o campeão da leitura. Em 15 dias, leu 16 livros. “Você não fica aquele menino que não sabe nada, você fica aquele menino que sabe tudo já, que lê, que sabe escrever”.

Fonte: O Globo Online

terça-feira, 23 de junho de 2009

UERJ é maior beneficiada em Programa de Apoio às Universidades Estaduais

Trinta e três propostas da UERJ foram contempladas pelo programa de Apoio às Universidades Estaduais 2009. A Universidade foi a maior beneficiada pelo edital deste ano. O resultado da seleção foi divulgado esta semana pela Fundação Carlos Chagas Filho de Apoio a Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj). A soma dos recursos alocados este ano para o programa alcança R$8,4 milhões destinados para financiar projetos de infra-estrutura, recuperação e modernização do parque científico e tecnológico.

Cabe ressaltar que dentre as propostas contempladas, duas promoverão melhorias nas bibliotecas, são elas:
- Excelência da Pós-graduação em Educação: infraestrutura para biblioteca do CEH/UERJ. De autoria da Professora Elizabeth Fernandes de Macedo.
- Ampliação física do material bibliográfico da biblioteca da Faculdade de Formação de Professores da Uerj (CEH/D), da Professora Iza Terezinha Gonçalvez Quelhas.

É a parceria do Centro de Educação e Humanidades com a Rede Sirius - Rede de Bibliotecas Uerj dando frutos mais uma vez!

Enviado por Luciana Avellar.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Biblioteca, para que te quero?


RIO - Já parou para observar a biblioteca da sua escola? Mesas, cadeiras, estantes, prateleiras e, claro, livros são os principais itens para ela funcionar bem. Mas não é só isso: é preciso também que ela tenha um acervo atualizado, edições em quantidade o suficiente para suprir a demanda dos alunos, profissionais especializados para atender, além de um espaço para pesquisar e estudar com sossego. Ela oferece todas essas condições? Se a sua resposta é não, infelizmente a biblioteca do seu colégio se enquadra na realidade da maioria das escolas do país, sejam elas públicas ou privadas. De acordo com a presidente do Conselho Federal de Biblioteconomia (CFB), Nêmora Arlindo, o Brasil ainda precisa caminhar muito para chegar a um patamar semelhante ao de países desenvolvidos.

- Verificamos muitas vezes, em fiscalizações, que a biblioteca é apenas o lugar onde são armazenados os livros, sem o menor cuidado. E ela não se resume apenas ao espaço físico, mas também aos serviços que são oferecidos - explica.

Em uma biblioteca ideal, diz a presidente do CFB, os alunos têm atividades de leitura, e tudo o que se passa ali tem relação com o projeto pedagógico da escola. Tem que ter uma boa iluminação, salas de reunião para trabalhos em grupo e também de estudo reservado. E funcionários preparados para ajudar os estudantes a encontrar aquilo de que precisam.

A Megazine visitou as bibliotecas dos colégios São Bento, CAp UFRJ, CAp Uerj e o estadual Júlia Kubitschek, de formação de professores. Com um acervo de cerca de 22 mil volumes e 140 periódicos jornais e revistas brasileiras e estrangeiras, o São Bento, que obteve o primeiro lugar no ranking das escolas a partir dos resultados do Enem, oferece uma biblioteca espaçosa e com acervo variado. A queixa frequente dos alunos, de acordo com a bibliotecária Isabel Maria Ferrão Sampaio, é a falta dos livros da série "Crepúsculo", de Stephenie Meyer.

- As nossas aquisições são guiadas pelo projeto pedagógico. Como o São Bento é uma escola católica, ainda estamos avaliando a pertinência do livro - explica ela.

As estudantes do Júlia Kubitschek também estão ansiosas pela série, mas agora estão em fase de comemoração pela recente reestruturação da biblioteca, que há pouco mais de quatro meses voltou a funcionar diariamente. Antes disso, ela só abria em dois dias na semana, quando a
professora responsável, além de dar aulas, tinha tempo disponível.

- A gente precisava ter um espaço maior para os livros e para as pessoas, além de títulos mais atualizados. Ainda há muita coisa velha por aqui, mas já melhorou bastante - comentou a estudante do 2 ano Bianca de Lima, de 16 anos.

As instalações também são as maiores preocupações dos alunos dos colégios de aplicação da UFRJ e da Uerj. No federal, a avaliação que os estudantes fazem é de que a biblioteca é boa, mas precisa se expandir.

- A biblioteca sofre com os problemas de infraestrutura do colégio. Precisamos de um prédio inteiro para atender as necessidades de alunos e professores - acredita o representante do grêmio Vicente Saraiva, de 17 anos.

No estadual, a vice-presidente do grêmio estudantil, Luiza Carrera, de 17 anos, reclama que a falta de espaço desestimula a visita dos alunos:

- Não cabe todo mundo que precisa, e isso faz com que os alunos não sintam vontade de ir lá buscar livros.

Funcionária da biblioteca, Luciane Paes diz que muitas vezes é preciso trancar o espaço por causa da lotação, mas que há planos de aumentar o lugar.

De acordo com Marcelo Soares, diretor de políticas de formação, materiais didáticos e de tecnologias para educação básica do MEC, 65% das escolas de ensino médio dispõem de bibliotecas. A qualidade delas, porém, só vai ser averiguada agora, em uma pesquisa de campo que será concluída ano que vem.

- A meta é fazer um mapeamento da situação das bibliotecas escolares nos diferentes estados. Com esse estudo, o ministério poderá elaborar políticas e investimentos mais eficazes.

Nêmora Arlindo, do CFB, lembra que exigir uma boa biblioteca é um direito do estudante.

- O aluno pode reclamar com a direção da escola, com as pessoas responsáveis e também pode procurar o conselho regional de biblioteconomia do seu estado - recomenda.

"Biblioteca, para que te quero", Publicada em 15/06/2009 às 23h46m, Natália Soares, Jornal O Globo. Foto: biblioteca do CAp.UERJ. Foto Marco Antonio Cavalcanti / Agência O Globo

Por Marcos Vasconcelos

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Internet é fonte de informação mais popular

Reproduzindo matéria retirada do Infoplantão: http://info.abril.com.br/noticias/internet/internet-e-fonte-de-informacao-mais-popular-17062009-43.shl

NOVA YORK - A internet é, por larga margem, a mais popular fonte de informação e a escolha preferencial para obter notícias, de acordo com pesquisa feita nos EUA.

Mas apenas uma pequena fração dos adultos americanos considera que sites como o Facebook ou o MySpace sejam boas fontes de notícias e menos pessoas optariam pelo Twitter.

Mais de metade dos entrevistados durante a pesquisa da Zogby Interactive afirmaram que selecionariam a internet, se tivessem de escolher uma única fonte de notícias; 21% optou pela televisão e 10% por rádio e jornais.

Apenas 10% dos entrevistados descreveram os sites de redes sociais como importantes em termos noticiosos, e apesar do entusiasmo da mídia com relação ao Twitter, apenas 4% dos pesquisados recorreriam ao serviço para informação.

A internet também foi selecionada como a mais confiável das fontes de notícia por cerca de 40% dos adultos, ante os 17% que optaram pela televisão, os 16% que ficaram com jornais e os 13% com o rádio.

"A pesquisa reforça a idéia de que os esforços dos jornais e estações de televisão e rádio estabelecidos para conduzir os consumidores aos sites que esses veículos mantêm na web estão funcionando", afirmou a Zogby em comunicado.

Quase metade dos 3.030 adultos entrevistados na pesquisa online afirmaram que os sites dos grandes jornais nacionais eram importantes para eles, seguidos por 43% de entrevistados que disseram o mesmo sobre os sites de canais de TV.

Os blogs são vistos como menos necessários do que os sites, e apenas 28% dos entrevistados declararam que blogs que compartilham de seus pontos de vista político são importantes.

"Que os sites da mídia noticiosa tradicional sejam considerados por larga margem como mais importantes que os sites de blogs (a maioria dos quais expressam opiniões desprovidas de informações objetivas) pode ser visto como desdobramento positivo para a mídia como um todo", acrescentou a Zogby.

Por Alberto Calil Junior

terça-feira, 16 de junho de 2009

A Internet como auxílio a pesquisa I

Pode a internet nos auxiliar em nossas vidas como profissionais da informação ou como estudantes? Ou talvez a pergunta a ser feita deveria ser: Em que a internet pode nos auxiliar?

Com a intenção de responder a esta questão vamos periodicamente postar dicas de usos que podemos fazer das inúmeras ferramentas que estão disponíveis na grande rede.
Vamos começar com as Start Pages, o que são?

Start Pages são plataformas que possibilitam a personalização de uma espécie de "casa" na internet. Em uma start page é possível adicionar "links" que nos são úteis, tais como, e-mail, agenda, notícias, blogs e que podemos visualizar em nossa start page na medida em que são atualizados. Existem diversos serviços disponíveis pela web.

Netvibes: http://www.netvibes.com/

Pageflakes: http://www.pageflakes.com/

Igoogle: http://www.google.com/ig

Em uma próxima postagem vamos navegar pelo Igoogle, que é a start page que utilizo. A idéia do post é compartilhar alguns usos que fazemos dos recursos existentes na Web, dessa forma seria interessante que outras postagens com usos de outros recursos surgissem.

Por Alberto Calil Junior

A realidade das bibliotecas escolares

Saiu no caderno Megazine do O Globo de 16 de junho uma reportagem sobre as bibliotecas escolares do estado do Rio. Algumas bibliotecas foram apresentadas. Entre elas, a biblioteca da CAp UERJ, onde a colega Luciane Paes deu um depoimento mencionando a falta de espaço físico na biblioteca para os alunos estudarem.

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Capes e Elsevier ofereceram acesso livre a artigos

Acordo vai permitir acesso aos artigos científicos publicados em periódicos da Elsevier por autores vinculados a instituições brasileiras

Dentro de alguns meses, os artigos científicos escritos por pesquisadores brasileiros em periódicos da editora holandesa Elsevier poderão ser consultados livremente no mundo inteiro. Essa iniciativa é resultado de um acordo entre o Portal de Periódicos da Capes e a Elsevier.

Desde janeiro deste ano, quando um autor submete um manuscrito para publicação em um periódico da Elsevier, ele tem a opção de escolher se o artigo pode ou não ter seu acesso liberado. Para isso, é necessário que ele esteja afiliado a uma instituição de ensino e pesquisa brasileira e que tenha seu trabalho financiado com verbas públicas. Será a Capes quem vai indicar quais artigos ficarão disponíveis para consulta. A liberação acontecerá após um período, que varia conforme a área do conhecimento da pesquisa publicada.

"O acordo é um reconhecimento da importância da parceria entre Capes e Elsevier no desenvolvimento da Pesquisa no Brasil e busca contribuir para que o País continue alcançando novos patamares de excelência em Ciência e Tecnologia", afirmou Dante Cid, Diretor Regional de Vendas e Marketing da América do Sul da Elsevier. Segundo ele, a solução vai aumentar ainda mais visibilidade da produção científica brasileira, que estará disponível inclusive para pesquisadores e instituições que não têm acesso ao Portal de Periódicos.

Fonte: http://www.periodicos.capes.gov.br/

Postado por: Alberto Calil

terça-feira, 2 de junho de 2009

UE quer saber se livros do google violam direito de autor

Abaixo reportagem retirada da Exame informática e postada no blog "A informação".

A Comissão Europeia vai investigar se o projecto de digitalização de livros que o Google está a levar a cabo nos EUA viola os direitos de autor de escritores europeus.Tudo começou com uma tomada de posição de políticos alemães, hoje conhecida por “Recurso Heidelberg”.

Neste recurso, foram dadas a conhecer preocupações quanto à violação dos direitos de escritores europeus, que o projecto de digitalização e distribuição de livros do Google poderá ter levado a cabo nos EUA.

Ontem, Vladimir Tosovsky, ministro da Indústria Checo, enquanto representante da presidência Checa da UE, anunciou, em declrações reproduzidas pela PC Pro que «a Comissão Europeia vai estudar cuidadosamente a questão e, se for necessário, tomar posições».

A declaração do representante checo vem dar seguimento às suspeitadas levantadas pelo «Recurso Heidelberg», que terá ganho, entretanto, aliados políticos na França e no Reino Unido.

O projecto do Google visa a digitalização e distribuição de milhões de livros através da Net. O “rei” dos motores de busca terá assinado um acordo com várias editoras para o efeito, não se livrando da polémica e de um processo nos tribunais norte-americanos.

O acordo prevê a digitalização e distribuição de livros já editados em papel contempla uma alínea que permite que autores/editores que estejam em desacordo saiam do “cardápio” livreiro do Google.

Para os responsáveis pelo «Recurso Heidelberg» o líder dos motores de busca não terá feito tudo para acautelar os direitos dos autores europeus: «A acções do Google são inconciliáveis com os princípios da lei de autor da UE, que estipulam que o consentimento do autor tem de ser obtido antes dos seus trabalhos serem reproduzidos ou tornados públicos na Internet.», lê-se no documento apresentado pelos políticos alemães.

O Google não perdeu tempo a reagir – desta feita, a agradecer a hipótese de explicar à Comissão Europeia o acordo que firmou com escritores e editores norte-americanos.

Fonte: http://a-informacao.blogspot.com/

Por Alberto Calil Junior

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Até teólogo e bibliotecário dão aula de física

Olha só colegas nossos mais uma vez "apagando o incêndio" da educação brasileira:

"Dos professores de quinta a oitava série do país, 26,6% não têm a habilitação legal exigida para dar aulas nesse nível, que é diploma de ensino superior com licenciatura. Do total de docentes desse nível, 21,3% não têm nenhuma graduação e 5,3% têm diploma superior, mas sem a licenciatura.
(...)
Física é o caso mais emblemático. Dos professores da disciplina no ensino médio, apenas 25% foram formados por algum curso universitário específico da área -contra 34% que estudaram matemática. A lista conta ainda com químicos, bibliotecários e teólogos.
(...)
Para Barbosa Filho, o fato de os salários pagos a docentes de física e química da rede pública serem equivalentes aos de professores de outras disciplinas afasta do magistério os profissionais dessas áreas. Eles acabam indo para profissões com mais retorno financeiro. (...)"

A notícia completa está no link abaixo
http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=63728

Enviado por Teresa Silva.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Sistema de cotas na UERJ


Uerj vai recorrer; alunos apoiam a direção

Fui hoje à Uerj e lá o clima era de união para manter as cotas. Falei para uma plateia de cotistas e não cotistas e o clima geral era de susto pela decião da Justiça. A Uerj tentará reverter a liminar que suspendeu as cotas raciais. O DCE disse que concorda com a direção e a luta a favor das cotas.

A Uerj foi a primeira escola a adotar o sistema. Hoje, segundo professores com quem conversei, eles estão orgulhosos do desempenho dos cotistas e vão fazer uma ampla pesquisa para saber o resultado da política no mercado de trabalho. Eu fui lá para abrir a V Amostra de Estágios.

O que eu vi hoje lá foi uma platéia cheia da bela diversidade do Brasil: pretos, brancos, pardos, meninos, meninas, moradores de áreas diferentes do Rio, juntos, integrados, debatendo sobre riscos e oportunidades do mercado de trabalho. Uma prova viva de que conviver juntos no mesmo espaço, em pé de igualdade é o melhor remédio contra as desigualdades raciais brasileira.

A liminar, explicou o reitor, Ricardo Vieiralves de Castro, suspendeu a aplicação de uma lei que tem oito anos e às vésperas do vestibular. Se não for cassada prejudicará os estudantes que se inscreveram pelo sistema de cotas. E uma medida liminar, como se sabe não pode provocar prejuizos irreversiveis.

Sei que este assunto é polêmico, mas tenho há anos a mesma posição favorável às cotas. Já escrevi muito sobre o assunto, não vou repetir os argumentos. Já ouvi e li muitos argumentos contrários. Não me convenceram. As cotas sozinhas não vão resolver as desigualdades racias, mas são uma das armas para nos ajudar a superar o problema. Não, não acho que elas vão "implantar" o racismo no Brasil, não se implanta o que já existe. E estou convencida - fiquei hoje ainda mais - que a convivência de pessoas diversas, de áreas diferentes da cidade e da sociedade, com histórias diversas cria uma chance de menos distância social no Brasil. Na universidade que estudei só havia brancos. A que vi hoje era mais bonita, tinha mais a cara do Brasil.

As empresas modernas sabem que os times mistos são mais eficientes, que a diversidade no quadro de funcionários aumenta a capacidade de resposta da empresa aos desafios. A Uerj está fazendo a parte dela, que o mercado de trabalha entenda os novos tempos e suas chances.

( Fonte: "Cotas raciais, por Mirian Leitão" - http://oglobo.globo.com/economia/miriam/posts/2009/05/26/uerj-vai-recorrer-alunos-apoiam-direcao-189871.asp)

Enviado por Hilda Lima.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Blogs Científicos

É possível utilizar o blog como forma de divulgação científica? Algumas experiências têm respondido positivamente a esta pergunta. Navegando pela rede já podemos encontrar vários blogs científicos que trazem informações interessantes dentro da área de conhecimento a qual o blog se dedica. o Sciencesblogs é um bom ponto de partida para começar a navegar por este universo.

http://scienceblogs.com/

http://scienceblogs.com.br/

Enviado por Alberto Calil Junior.

terça-feira, 26 de maio de 2009

Tabela de Temporalidade

Gostaria de compartilhar com meus colegas um assunto importante, e que estamos sempre procurando informações a respeito.

TABELA DE TEMPORALIDADE é o instrumento onde se determina o prazo de permanência de um documento em um arquivo e sua destinação após este prazo.
Existem documentos que devem ser guardados por mais tempo, que são os relacionados às áreas contábil, fiscal, financeira e pessoal. A eliminação de documentos de arquivos, devem obedecer as normas do CONARQ, em destaque os documentos produzidos por todos os órgãos integrantes do poder público.
Tabela de Temporalidade Documental - TTD É necessário que cada organização faça a constituição legal de sua Comissão Permanente de Avaliação de Documentos. Dependendo do porte da mesma, poderá haver mais de uma Comissão.

Tabela de Temporalidade Documental Simplificada

Aviso e recibo de férias - 10 anos - Dec.3.048/99, Art.225

Certidão Negativa de Débito - 90 dias - Decreto 4.729/03, Art.257

Contas de água, luz e telefone - 05 anos* - Lei 5.172/66, Art.173

Contrato de estágio - 05 anos - Const.Federal, Art.7

Espelho ou cartão ponto - 05 anos - Const.Federal, Art.7

Extrato bancário - 05 anos* - Lei 5.172/66, Art.173

Declaração de informações econômicas e fiscais da pessoa jurídica - DIPJ (Imposto de Renda) - 10 anos - Lei 8.212/91, Art.46

Nota fiscal - 05 anos* - Lei 5.172/66, Art.173

Prestação de contas de viagem - 05 anos* - Lei 5.172/66, Art.173

Controle de entrega de vale transporte e alimentação - 05 anos - Const.Federal, Art.7

* O prazo inicia no exercício seguinte ao do fato gerador. Por exemplo, se uma conta de luz venceu no mês de março/2006, comece a contar o prazo de guarda a partir de janeiro/2007.
Atenção
Ao implantar a Tabela de Temporalidade Documental, deve-se utilizar como referência os prazos de guarda estabelecidos pelas legislações, mas sempre considerando as particularidades de sua empresa.

Por Denise Ismerio

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UERJ: a experiência da Biblioteca CB/B

O artigo abaixo foi escrito por solicitação da APCIS, ao tomar conhecimento do meu trabalho com a BDTD na Biblioteca CB/B:

Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UERJ: a experiência da Biblioteca CB/B na divulgação e na padronização da produção acadêmica dos Programas de pós-graduação em Odontologia e Enfermagem

Por: Kalina Rita Oliveira da Silva*
Colaboração: Neusa Cardim**


A Biblioteca CB/B, da Rede Sirius de Bibliotecas da UERJ, atende às áreas de Odontologia e Enfermagem, que, por sua vez, oferecem cursos de graduação e pós-graduação (especialização, mestrado e doutorado), dando suporte às atividades acadêmicas. Desde o início de 2007, a Biblioteca oferece a esta clientela, gratuitamente e com hora marcada, o serviço de orientação normativa de teses e dissertações, de acordo com o padrão estabelecido pelo Roteiro para Apresentação de Teses e Dissertações da UERJ, disponível em http://www.bdtd.uerj.br/roteiro_uerj_web.pdf.

O Professor Ricardo Fischer, coordenador da Pós-Graduação em Odontologia, apoiou a iniciativa da Biblioteca aceitando ser um dos revisores do Roteiro e dando seu aval para que o mesmo fosse aplicado.

A partir de agosto do mesmo ano, houve uma intensificação deste serviço com a apresentação de palestras para os orientadores dos cursos de mestrado em Enfermagem e de mestrado e doutorado em Odontologia, com o objetivo de divulgar a BDTD e conscientizar sobre as necessidades de padronização das teses e dissertações.

Em 2008, outra palestra, em duas etapas, foi ministrada, dessa vez para os discentes, com objetivos pontuais como apresentar os problemas identificados nas teses/dissertações que já haviam sido entregues na Biblioteca CB/B e, a partir daí, oferecer parâmetros para que as falhas não fossem repetidas nos trabalhos futuros. Os slides da palestra foram distribuídos, contendo também muitas dicas de formatação que não constavam do Roteiro.

Essa palestra vem sendo aprimorada e adaptada para os alunos de graduação, residência e especialização.

A receptividade a este serviço tem sido estimuladora, com uma demanda crescente e com resultados positivos tanto em relação às teses e dissertações com padrões de qualidade quanto em relação à valorização do profissional bibliotecário.

Isso significa a intensificação do papel educador do Bibliotecário e o reconhecimento do seu valor entre a comunidade acadêmica.

O endereço eletrônico da BDTD/UERJ é www.bdtd.uerj.br.

* Bibliotecária responsável pela BDTD em Odontologia e Enfermagem na Biblioteca CB/B
** Bibliotecária responsável pela BDTD na UERJ

Palestra para alunos de Residência de Enfermagem

No último dia 05/05/2009, apresentei a Palestra "Apresentação do arquivo/máscara para a elaboração de monografias de Residência em Enfermagem", a convite da Professora Cláudia Sá, do Serviço de Treinamento e Avaliação de Enfermagem.

Compareceram uma professora e 52 alunos, no Auditório Ney Palmeiro do HUPE.

Ressaltei que o arquivo foi baseado nas dissertações de Enfermagem entregues à biblioteca CBB nos anos de 2008 e 2009 e tem como objetivo minimizar as dificuldades encontradas em relação à formatação da apresentação das monografias em arquivo único e orientar quanto à necessidade da consulta ao Roteiro da BDTD, esclarecendo as principais dúvidas de padronização.

Outros arquivos/máscara também foram preparados para a Graduação, Especialização e Mestrado em Enfermagem e Mestrado e Doutorado em Odontologia. Esses arquivos estão em fase de teste, pois poderão ser aprimorados, e aguardam parecer dos professores de Metodologia de cada área.

Kalina Silva
Biblioteca CB/B

Participação no Curso "Biblioteca Digital"

Nos dias 11 a 14 de maio de 2009, participei do Curso “Biblioteca Digital”, promovido pela DATACOOP e ministrado pelos professores Carlos Henrique Marcondes (UFF) e Luís Fernando Sayão (CNEN), ambos doutores em Ciência da Informação, nas dependências da UniverCidade, unidade Metrô Carioca.
Em 20 horas de curso, o tema “Bibliotecas Digitais” foi explanado em seus conceitos e definições, tipos de softwares e modelos de serviços utilizados, exemplos de Bibliotecas Digitais brasileiras, tecnologia de informação, preservação digital dos documentos, importância do endereçamento eletrônico permanente, Dublin Core, metados e XML, codificação em XML e HTML, padrões METS, MODS, MARC-XML, interoperabilidade, plano de implementação, desenvolvimento de coleções, direitos autorais, infra-estrutura tecnológica necessária, diretrizes para um sistema de gestão e ferramentas livres disponíveis, com especial destaque para o GREENSTONE.
Os alunos eram formados por profissionais de Biblioteconomia e Informática da ANP, UniverCidade, STJ, IPEA, Hospital Naval Marcílio Dias, Rede Sirius/UERJ, STF, UFPA, Eletrobrás, DATACOOP, PETROBRAS e INMETRO.
Em um momento do curso, tive a oportunidade de divulgar a Biblioteca Digital da UERJ e falar um pouco sobre o TEDE/IBICT.
Meus agradecimentos especiais à Bibliotecária Silvia Gago e à Rede Sirius por terem possibilitado a minha matrícula e à equipe da Biblioteca CBB por ter compreendido a minha ausência por quatro dias.

Kalina Silva
Biblioteca CB/B

Comemoração dos 45 anos do Curso de Psicologia da UERJ

O Curso de Psicologia da UERJ inicia no dia 27 de maio as comemorações por seu aniversário de 45 anos com o seminário: Que psicológos queremos formar? Após a mesa, que contará com a presença de docentes e discentes do curso de psicologia, serão realizados Grupos de Trabalho.

Inscrições no site do Instituto de Psicologia

http://www.psicologia.uerj.br/

Postado por: Alberto Calil Junior

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Encontro de Bibliotecas Biomédicas - 5º ENBIB

O Encontro tem como tema central a mediação entre produção e uso da informação, redimensionando saberes e fazeres bibliotecários na área da saúde.
Sub-temas: Interação informação-usuário Organização, tratamento e recuperação da informação em saúde Serviços online interativos Desenvolvimento do profissional de informação Bibliotecas digitais/virtuais.
As inscrições para o 5º ENBIB podem ser feitas por preços especiais até 30 de maio e assim os madrugadores poderão economizar com a oportunidade oferecida pela APCIS/RJ. Mais informações sobre o evento em: http://apcisrj.org/5enbib/index.htm

Fonte: Portal de referência NCD/UFF

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Biblioteca de José Mindlin

Colecionador doou seus livros raros à USP. Um robô "devorador de livros" está escaneando os exemplares.
A paixão de um brasileiro por seus livros em breve vai ser compartilhada com todos nós. A Universidade de São Paulo se prepara para receber parte da biblioteca Brasiliana, doada pelo empresário e colecionador José Mindlin.

SAIBA mais sobre a Brasiliana
Poderá ser acessado de qualquer parte do mundo, pela internet, e também fisicamente, em um prédio que está sendo construído para receber a Brasiliana. Um tesouro, de um homem sonhador, que vai se tornar público pelo esforço de gente que acredita que um grande país só se faz com cultura e educação. É em um vazio moldado a ferro, onde ainda o concreto escorre, que caberá o conhecimento. A biblioteca por enquanto é toda imaginação. “São três andares de livros. Todas as paredes com toda coleção exposta. A ideia é que a gente tivesse sempre o visitante em contato com o acervo”, explica o arquiteto Rodrigo Mindlin Loeb. Este será o corpo da Brasiliana, biblioteca formada por 17 mil títulos, todos sobre o Brasil ou feitos no Brasil, doados à USP pelo avô de Rodrigo, o empresário e bibliófilo, José Mindlin. “A arquitetura é coadjuvante nesse processo porque os livros são a alma. Estamos cuidando de dar um corpo para receber dignamente a coleção e ter acesso para meus filhos, netos e de todos nós”, diz o arquiteto Rodrigo Mindlin Loeb. A alma da Brasiliana ainda está bem longe; na casa de José Mindlin, no espaço especialmente construído, ao lado do jardim, para abrigar a biblioteca dele com quase 100 mil volumes. É uma sala de preciosidades e raridades. Os livros são do século 19, de literatura brasileira. Lá, estão quase todas as primeiras edições dos livros de Machado de Assis. Há as primeiras edições dos dois romances mais lidos no século 19: “O guarani”, de José de Alencar e “A moreninha”, de Joaquim Manuel de Macedo. Ao pé da escada fica Santo Inácio, um verdadeiro santo do pau-oco. No espaço de trás escondiam o ouro para escapar ao fisco dos portugueses. É neste espaço da memória e do passado que vive um novo agregado: um robô do século 21, um devorador de livros, que lê 2,4 mil páginas por hora. O livro que o robô tem nas mãos é “Helena”, autografado por Machado de Assis, dedicado a um velho amigo dele, Salvador de Mendonça. A tudo isso nós teremos acesso, via internet. “Enquanto o prédio está sendo construído, já estamos construindo a biblioteca digital”, aponta o coordenador da Brasiliana digital Pedro Puntoni. “Podemos transformar uma imagem recém tirada do robô em uma página que seja portátil para a web”, explica o engenheiro de computação Vitor Tsujiguchi. “O usuário vai ver o livro tal como ele é: a imagem do livro original, mas por trás dessa imagem há uma versão digitalizada, como se fosse transcrito. O usuário pode fazer busca por palavra, frase, iluminar trecho, copiar e colar. A pessoa vai poder imprimir em casa, encadernar e colocar na sua estante”, antecipa o coordenador da Brasiliana digital Pedro Puntoni. O robô reconhece 120 línguas. Até o final do ano o plano é que ele tenha digitalizado 4 mil livros e 30 mil imagens. Quem está encantado com o trabalho do robô é o professor titular de história do Brasil, Istvan Yancsó, coordenador geral do projeto: “O conceito dessa biblioteca é atender a uma multiplicidade de destinações. É um serviço que a USP vai prestar à nação. Tudo que nós estamos fazendo é sempre em cima da ideia de que é uma colaboração para montagem de alguma coisa que não vai ser a Brasiliana da USP, vai ser uma Brasiliana brasileira”. Os primeiros livros que já estão sendo digitalizados são os dos viajantes que percorreram o Brasil nos séculos 16, 17, 18 e 19. Toda a coleção das gravuras de Debret. Depois disso será a vez de todos os livros de história do Brasil e literatura brasileira. Os 17 volumes da primeira edição dos sermões do Padre Vieira, a primeira edição brasileira de “Marília de Dirceu”, de Tomás Antonio Gonzaga - só existem três unidades no mundo. De José de Alencar, a primeira edição do “Guarany”, livro raro. José Mindlin passou boa parte da vida atrás desse exemplar, um dos únicos existentes e de muitas outras raridades. Uma biblioteca como esta é um espaço para eternas descobertas. Cristina Antunes, organizadora da biblioteca Mindlin há 29 anos, sabe disso: “Até hoje descubro livros que eu não vi, que eu não li, que não conheço”. Toda essa coleção começou com um livro de história do Brasil de Frei Vicente de Salvador, e comentários de Capistrano de Abreu. José Mindlin tinha 13 anos, hoje, aos 94, quase 100 mil livros depois, quer dividir com todos o grande prazer que os livros lhe deram. “Era um sonho, no meio de muitos outros, era sim”, diz o bibliófilo José Mindlin. A biblioteca Brasiliana está sendo construída na usp com doações de empresas. O prédio deve ficar pronto em julho de 2010. Os primeiros livros já deverão ser abertos para consulta, via internet em meados de junho.

Por: SELMA

terça-feira, 19 de maio de 2009

Programa de bolsas da Biblioteca Nacional

Estão abertas as inscrições para a seleção de bolsas do Programa Nacional de Apoio à Pesquisa da FBN, para o ano de 2009. A data limite para o envio de projetos é o dia 12 de junho de 2009.Em edições anteriores foram contemplados noventa e dois projetos que priorizavam o estudo e a divulgação do acervo da Biblioteca Nacional. Seguindo a mesma linha, este ano serão concedidas bolsas em três níveis para candidatos com formação em doutorado (nível 1), mestrado (nível 2) e graduados ou pós-graduandos (nível 3).Como nos anos anteriores, será vedada a acumulação de bolsas da FBN com a de outros programas como CNPq, outras agências ou da própria FBN.Clique aqui para fazer o download do edital para bolsa de pesquisa.Confira também os editais de: bolsa para autores com obras em fase de conclusão e bolsa tradução.

Por Luciana Avellar

Livro bom e barato

Quem não gostaria de comprar um livro por um preço três a quatro vezes mais barato do que o de mercado? Pois é isso o que estará acontecendo a partir do dia 18 durante a VI Festa do Livro da EdUERJ (Editora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro). Das 10h às 19h, no Balcão do Vestibular (Hall dos Elevadores – Pav. João Lyra Filho, no campus Maracanã), a editora estará disponibilizando a venda de livros do catálogo a preços bastante reduzidos: eles variam de R$ 1 (um real) a R$ 25 (vinte e cinco reais). E melhor ainda: além de dinheiro, podem ser pagos também com cheques pré-datados, sem prejuízo dos descontos. A festa marca o 11º aniversário da Editora.Para o gerente da livraria, Hébel Costa, a receptividade ao evento é garantida. Principalmente entre os estudantes que vêem na festa uma forma de terem acesso ao livro universitário. Ele salienta que, mesmo fora dessas datas especiais, os livros vendidos na livraria têm preços convidativos para todos. “Na Editora, praticamos uma política encorajadora para a aquisição do livro universitário: na loja é dado um desconto universal de 20%, independente de o leitor ser estudante, professor ou visitante”, destaca. Alguns dos títulos que estarão disponíveis na festa fazem parte da Coleção Comenius, especialmente criada com o objetivo de publicar textos de natureza didática (textos de apoio, exercícios básicos, teorias, manuais, caderno de anotações pedagógicas, textos clássicos, entre outros) para a formação do aluno universitário. Os 13 livros publicados até o momento abrangem as áreas de educação e humanidades, ciências sociais e ciências e tecnologia.Na Festa só serão vendidos os livros da EdUERJ. Mas, nas estantes da loja que fica no mesmo pavilhão, podem também ser encontrados títulos de editoras de diversas universidades do país, como a Universidade do Estado de São Paulo (USP), a Universidade Estadual Paulista (Unesp), a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e a Universidade de Brasília (UNB), entre outras. Isso se deve à participação da EdUERJ no Programa Interuniversitário de Distribuição de Livros (PIDL), da Associação Brasileira de Editoras Universitárias (Abeu), que incentiva o intercâmbio das obras entre os seus associados. O editor executivo da EdUERJ, professor Ítalo Moriconi, disse que a procura pelos livros da Editora no mercado é bastante satisfatória. “Possuimos vários títulos relevantes em diversas áreas universitárias e os principais têm saída permanente”, observa Moriconi.

Fonte: Site da Uerj

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Uma lembrança de Umberto Eco

Em entrevista publicada no Jornal "La Stampa", o escritor italiano Umberto Eco tece alguns comentários sobre a relaçao entre a internet e os livros. Apesar de ser apenas o trecho de uma entrevista, traz importantes elementos para a nossa reflexão.
Vai o link:
http://aeiou.expresso.pt/gen.pl?p=stories&op=view&fokey=ex.stories/514699

Convite: Jornada "Livro: Uma Trajetória"

Clique na imagem para visualizá-la ampliada.


Por Rosane Lopes

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Ensino de História da África

Hoje, dia 13 de maio, o Ministério da Educação está lançando um plano para que os estados e municípios implementem a lei, do ano de 2003, que tornou obrigatório o ensino de cultura e história afro-brasileira. A informação é interessante para que pensemos em relação aos acervos das bibliotecas.
A matéria completa no G1:

http://g1.globo.com/Noticias/Vestibular/0,,MUL1124557-5604,00.html

por Alberto Calil Junior

Vida longa aos livros: dicas de conservação

  • Grandes quantidades de livros são pesadas. Dê atenção a espessura das prateleiras.
  • O livro deve ser constantemente manuseado. O virar das páginas oxigena o material, impede a acumulação de microrganismos que atacam o papel e colabora para que as folhas não fiquem ressecadas e quebradiças.
  • Folheie rapidamente, mas cuidadosamente, o livro sempre que for colocá-lo de volta na prateleira. Isso vai arejá-lo.
  • Não guarde os livros acondicionados em sacos plásticos, pois isto impede a respiração adequada do papel.
  • Evite encapar os livros com papel pardo ou similar. Essa aparente proteção contra a poeira causa, na realidade, mais dano do que benefício ao volume em médio e curto prazo. O papel tipo pardo, de natureza ácida, transmite seu teor ácido para os materiais que estiver envolvendo (migração ácida).
  • Faça uma vistoria anual. Retire todos os livros, limpe-os com um pano seco. Limpe a estante com um pano úmido. Evite passar produtos fortes do tipo lustra-móveis, já que seus resíduos podem infiltrar no papel.
  • Deixe sempre um espaço entre estantes e parede. A parede pode transmitir umidade aos livros. E, com a umidade, surgem os fungos.
  • Armários e estantes devem ser arejados. Estantes fechadas devem ser periodicamente abertas.
  • Estantes de metal são preferíveis do ponto de vista da conservação dos livros.
  • Não use clipes como marcadores de páginas. O processo de oxidação do metal mancha e estraga o papel.
  • Não guarde livros inclinados. Aparadores podem mantê-los retos.
  • Encadernações de papel e tecido não devem ser guardadas em contato direto com as de couro.
  • Na prateleira, os livros devem ficar folgados. Sendo fáceis de serem retirados, duram mais. Comprimidos nas prateleiras, induzem a sua retirada de maneira incorreta, o que danifica as lombadas e fatalmente leva ao dano da encadernação. Livros apertados também favorecem o aparecimento de cupins.
  • Quando tirar um livro da prateleira, não o puxe pela parte superior da lombada, pois isso danifica a encadernação. O certo é empurrar os volumes dos dois lados e puxar o volume desejado pelo meio da lombada.
  • A melhor posição para um livro é vertical. Livros maiores devem ter prateleiras que permitam isso. Em último caso deixe-os horizontalmente, tomando-se o cuidado de não sobrepor mais de 3 volumes.
  • Luz do sol direta nem pensar. O sol desbota e entorta as capas.
  • Se for um livro antigo, lave as mãos antes de folheá-lo, já que mãos engorduradas contribuem para a aceleração da decomposição do papel.
  • Evite umedecer as pontas dos dedos com saliva para virar as páginas do livro.
  • Ao ler um livro, evite abri-lo totalmente, como por exemplo, em cima de uma mesa. Isto pode comprometer a estrutura de sua encadenação.
  • Não utilizar fitas adesivas(tipo durex) e fitas crepes, cola branca (PVA) para evitar a perda de um fragmento de um volume em degradação. Esses materiais possuem alta acidez, provocam manchas irreversíveis onde aplicado.

Por: Luciana Avellar

Semana de atividades na Coart

A Coordenadoria de Arte e Oficinas de Criação (Coart) promove a semana gratuita de atividades entre os dias 11 e 15 de maio/2009. Durante a semana os interessados podem assistir às aulas sem qualquer custo e conhecer melhor as atividades antes de realizarem as inscrições, que já estão abertas e se estendem até o dia 22 de maio.
Os cursos oferecidos, com duração de três meses em cada módulo, começam oficialmente no próximo dia 18. Para a comunidade interna a taxa é de R$ 90 (ou duas parcelas de R$ 50).
A oficina de Encadernação, com aulas às quintas-feiras, de 14h-17h, se destaca para os interessados na técnica onde serão vistos os módulos de miolo, capa e técnicas distintas.
Local: Centro Cultural da UERJ/Sala 05.
As aulas serão ministradas pelo Prof. Luiz Augusto que trabalha com encadernação e restauração de livros no Ateliê das Canoas desde 1999.
Maiores informações pelo telefone 2587-7606.

Fonte: http://coart.wordpress.com/oficinas/

Por Vanda Lima

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Twitter para Bibliotecas

Atualmente as chamadas novas tecnologias da informação vêm abrindo possibilidades interessantes para o trabalho nas bibliotecas. Orkut, Blogs, Youtube, Foruns virtuais, mensagens por email; mesmo aqueles que possuem pouca intimidade com essas novidades tecnológicas estão presenciando mudanças no cotidiano, e não somente em relação ao trabalho na biblioteca.
Nas últimas semanas vimos o surgimento de uma nova moda nos ambientes virtuais, o Twitter. No caderno Mundo Digital do jornal O Globo, de 11 de maio de 2005 é possível ler uma reportagem sobre essa nova moda dos ambientes virtuais, que segundo a referida reportagem já é utilizado por 14 milhões de pessoas.
Navegando, encontrei a tradução de um texto intitulado "Twitter para bibliotecas (e bibliotecários) que pode servir como fonte de reflexão. O texto foi capturado do blog http://extralibris.org/ e foi traduzido por Moreno Barros. Vai o link :

http://extralibris.org/2009/05/twitter-para-bibliotecas-e-bibliotecarios/

Alberto Calil Junior