Rede Sirius 50 Anos

Há pouco menos de seis meses, o Núcleo de Memória, Informação e Documentação (MID) da Rede Sirius tinha um problema nas mãos. O que seria feito para comemorar o Jubileu de Ouro da Rede de Bibliotecas da Uerj? Cinco anos antes, quando a Rede comemorava 45 anos, tudo o que foi feito - eventos, libreto, vídeo - remetia ao lado histórico e pessoal - os números e as pessoas da Rede eram as estrelas da comemoração. Agora, o desafio era não repetir o mesmo caminho, buscar uma nova trilha, um novo rumo. Eis que em uma das reuniões e conversas sobre o assunto, surgiu a ideia de ligar a comemoração dos 50 anos ao carnaval.

Em um primeiro momento, a única coisa clara é que a ideia era ousada, diferente. Paradoxalmente, era uma ideia ao mesmo tempo original e atávica - o samba, queiramos ou não, permeia a vida de quem mora e trabalha no Rio de Janeiro. O fato, contudo, era que nós não tínhamos, na realidade, uma ideia formada. Haveria alguma forma de verdadeiramente conectar o carnaval às bibliotecas? O que poderia justificar essa escolha, além do gosto pessoal de grande parte dos integrantes da Rede Sirius?

Se alguém nos perguntasse, naquele dia, onde poderia chegar a ideia da comemoração dos 50 anos da Rede com o carnaval como tema, todos nós teríamos errado miseravelmente qualquer prognóstico. Afinal, tudo o que tínhamos em mãos eram fragmentos de caminhos. O encontro com o Prof. Felipe Ferreira, do Centro de Referência do Carnaval da Uerj, abriu para nós uma passarela de possibilidades e ligações, por onde depois viria a passar todo o fantástico trabalho realizado nesses meses em que construímos esta comemoração.

Primeiro, a clareza de nossa ligação com o samba e o carnaval se fez. Ainda que hoje quase toda pesquisa se realize em grande parte na Internet, onde mais, senão em bibliotecas, arquivos e museus, foi feita a pesquisa histórica que norteou as centenas de enredos que desfilaram pelas passarelas do samba em todas as épocas? E como esquecer que estamos localizados em um bairro cercado por algumas das maiores Escolas de Samba da história, como Mangueira, Salgueiro e Vila Isabel, entre outras? e mais: como ignorar que a Uerj, estadual e pública que é, tem sua base mais forte em sua presença junto à comunidade?

Depois disso, já com nossa ideia inicial devidamente lastreada, surgiu em nosso céu a figura de Jack Vasconcelos, carnavalesco, que convidado a pensar em um enredo para nossa comemoração, fez muito mais que isso. Jack sonhou a Rede Sirius como uma Escola de Samba, cruzando a Sapucaí em um desfile magistral, levando uma bandeira violeta e branca e cantando um enredo baseado na estrela de primeira grandeza que temos como nome. Guiados pelo Bibliotecário de Arcimboldo, personagem de uma conhecida pintura renascentista, o desfile nos levaria através dos tempos e dos povos, ligando a luz do astro ao conhecimento que, para muitas antigas civilizações, a estrela simbolizava. Viajamos pela antiga Mesopotâmia, pelo Egito, Grécia e Roma, atravessamos a Idade Média e nos iluminamos com o brilho de Sirius ao chegarmos aos dias modernos e contemporâneos.

Todo este enredo foi escrito e desenhado, em um trabalho primoroso do carnavalesco, e foi transformado em um livro e uma exposição de arte. Uma das fantasias imaginadas por Jack Vasconcelos - a Baiana - foi produzida em escala real e também estará exposta na Rede Sirius. Mas ainda faltava alguma coisa. E o que faltava era o samba que daria a alegria e carnavalizaria em definitivo a nossa comemoração. Os compositores Márcio André e Maurício 100, da União da Ilha do Governador absorveram o enredo de Jack Vasconcelos e criaram um belíssimo samba-enredo, que muito nos emocionou.

Hoje, é o dia de nossa comemoração. Neste exato momento, o evento e o coquetel realizados na Capela Ecumênica da Uerj, com a presença dos dirigentes da Universidade, dos servidores da Rede Sirius e da comunidade da Uerj, sob o som dos ritmistas da União da Ilha, marcam o fim do nosso desfile, a nossa apoteose. Um longo caminho percorremos, onde tentamos trabalhar com harmonia, sem atravessar o samba e sempre lembrando que todo este trabalho foi feito em nome de uma festa, uma celebração de alegria e conquistas. Pedimos desculpas por expectativas que porventura não tenham sido cumpridas mas temos a certeza de que fizemos o que de melhor estava ao nosso alcance.

E por fim, nosso especial agradecimento a todos os que nos ajudaram no caminho, trabalhando ou apenas apoiando e torcendo. Sem essas pessoas - e são muitas mesmo, nem a metade aparece nessa foto (clique nas imagens para vê-las em tamanho maior) - teria sido impossível realizar este trabalho.


Feliz aniversário, Rede Sirius. Que sua estrela brilhe cada vez mais, pelo tempo que for.




Entrevista na Rádio Uerj





Samba Enredo





Vídeos


Programa Campus



Apresentação da Bateria da União da Ilha,
no evento Rede Sirius 50 anos.





Fotografias


Enviado por Marcos Vasconcelos, Luciana Avellar e Ana Claudia Pitança.

Um comentário:

  1. Que idéia genial!!! Isso que é quebrar paradigmas!!
    Estão todos de Parabéns, pelos 50 anos e pela irreverência.

    Fabio Henning

    ResponderExcluir

Os comentários feitos no Blog da Rede Sirius são passíveis de aprovação. Comentários sem identificação ou de conteúdo ofensivo não serão autorizados.