quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Cem Anos de Samba, Rio & Geografia na Uerj

A partir do dia 2 de dezembro, o professor João Baptista de Mello, do Instituto de Geografia da Uerj, oferece um curso de extensão gratuito sobre o mundo do samba através da leitura de letras tradicionais, exibição de músicas e mostra de vídeos.

São oito aulas que acontecem de segunda a sexta-feira, das 18h30 às 21h30 no Auditório 11, do campus Maracanã da universidade. No conteúdo, clássicos eternizados por Donga, Pinxiguinha, Sinhô, Marlene, Ismael Silva, Noel Rosa, Carmem Miranda, entre outros. Somado à isso, um pouco da história da cidade carioca, relacionando arquitetura, religiosidade e cultura.

"Cem anos de samba, Rio e geografia na Uerj" faz parte das atividades de comemoração do centenário do gênero musical, que vêm sendo realizadas na instituição durante todo o período de 2016. Alunos com mais de 80% de frequência recebem certificados ao final do curso.

Para participar, basta se inscrever através do email roteirosgeorio@uol.com.br.  O endereço do Auditório 11 da instituição é  Rua São Francisco Xavier, 524, Maracanã. Mais informações pelo telefone (21) 98871-7238.

Curso de Extensão Gratuito
Cem Anos de Samba, Rio & Geografia na Uerj
Data: 2 a 13 de dezembro
Hora: das 18h30 às 21h30
Local: Auditório 11
Endereço: Rua São Francisco Xavier 524, Maracanã.
Inscrições: roteirosgeorio@uol.com.br
Coordenação: Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello
NeghaRio - Instituto de Geografia - Uerj
Enviado por Marcos Vasconcelos.

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Springer convida para webinar sobre Ética em publicações científicas.

Neste webinar serão discutidos exemplos de questões éticas comumente encontradas por editores de revistas científicas, bem como o panorama atual das pesquisas sobre má conduta em publicações. O objetivo é incentivar a discussão de boas práticas que todas as partes envolvidas no processo de publicação – autores, editores, revisores, leitores – podem adotar tanto para lidar com casos de má conduta quanto para evitá-los.

Ethics in Scientific Publication

8 de dezembro de 2016 das 13h às 14h30 (Brasília | BRT)

Registre-se aqui

A capacidade da sala é limitada a 100 participantes.
Garanta seu lugar conectando-se alguns minutos antes do início da sessão.

Este webinar será em inglês e sem tradução simultânea

Jigisha Patel coordena o Research Integrity Group do BioMed Central, uma divisão da Springer Nature, onde é responsável pelos padrões em ética de publicação e revisão por pares. Médica e doutora em fisiologia humana pela Queen Mary University of London, trabalhou vários anos na prática hospitalar do Reino Unido e passou um ano nos National Institutes of Health, nos Estados Unidos, como parte de seu doutorado. Atualmente também desenvolve pesquisas sobre revisão por pares e ética em publicações, tendo publicado vários artigos nesta área. É membro do conselho editorial da revista “Research Integrity and Peer Review” (http://researchintegrityjournal.biomedcentral.com).
Fique por dentro dos próximos webinars. Confira a programação em nosso website!
Esperamos vê-lo(a) em nossos webinars!

Springer Nature

Enviado por Rosangela Salles.

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Departamento Cultural da Uerj convida para a exposição "Palavras ao Vento".


Enviado por Marcos Vasconcelos.

Bibliotecário lança editora voltada à temática afro-brasileira

Vagner Amaro: bibliotecário, jornalista e gestor cultural.
Foto: arquivo pessoal
Uma de suas motivações foi o fato de tentar, sem sucesso, adquirir livros de autores negros contemporâneos para a biblioteca na qual trabalhava
A ausência de escritores negros na Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) deste ano foi motivo de muitas críticas ao evento por parte de autores e do público em geral. “Se não lemos todos os passos criativos da nação, estamos lendo uma nação em pedaços, estamos lendo uma nação incompleta”, afirmou há época a escritora Conceição Evaristo. Paulo Werneck, curador da festa, afirmou que a organização havia tentado convidar autores negros, mas não conseguiu trazê-los.

O fato parece não ser um caso isolado. No Brasil inteiro muitos destes autores negros publicam apenas em pequenas editoras, muitas vezes bancando suas próprias edições em pequenas tiragens e, por este motivo, vendem seus livros em eventos menores e não chegam às grandes livrarias e distribuidoras. Percebendo este cenário, o bibliotecário e jornalista Vagner Amaro resolveu lançar uma editora, a Malê, voltada à temática afro-brasileira.

Embora recém criada, a Malê vem se consolidando no mercado como uma alternativa aos autores negros, mas também aos leitores e bibliotecários que muitas vezes encontram dificuldades em adquirir obras neste seguimento. Nesta entrevista à Revista Biblioo, Amaro relata suas motivações para desenvolver o projeto, além de falar da contribuição que sua formação como bibliotecário deu ao seu negócio. Ele ainda critica o mercado que dificulta e subvaloriza o trabalho dos pequenos editores.

Como surgiu a ideia da editora e porque o foco na literatura afro-brasileira?

A ideia da editora surgiu do meu trabalho como bibliotecário e do meu cuidado com o desenvolvimento da coleção da biblioteca escolar em que trabalho. Ao tentar enriquecer o acervo com autores negros contemporâneos percebi que não conseguia adquirir muitos títulos e iniciei uma investigação para entender o motivo.  Descobri que muitos destes autores publicam em editoras pequenas ou bancam suas próprias edições em pequenas tiragens e por este motivo vendem seus livros em eventos menores e não chegam as grandes livrarias e distribuidoras, o que dificulta que sejam conhecidos e que seus livros sejam comprados.  Descobri também que muitos títulos, ao esgotarem as primeiras pequenas tiragens, não são reimpressos e fica simplesmente impossível consegui-los. É claro que um acervo é formado e desenvolvido de acordo com uma certa ideologia hegemônica na academia, no mercado e na sociedade em geral. Ao tentar garantir maior diversidade ao acervo e timidamente alterar esta estrutura que diz o que deve e o que não deve ser lido, encontrei estas dificuldades e, ao mesmo tempo, a inspiração para criar a editora e colaborar para modificar este quadro.

Leia mais.
(da Revista Biblioo)


Enviado por Luciana Avellar.

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Problemas no Catálogo Online

Prezados amigos, servidores, alunos e professores,

O sistema de Catálogo Online da Rede Sirius, SophiA, tem estado intermitente. O problema não vem da Rede de Bibliotecas, mas da quebra de um no-break do sistema elétrico da universidade, o que tem comprometido toda a parte de informática. O conserto do no-break principal poderá demorar, visto que o equipamento é bem antigo. A Diretoria de Informática da UERJ alugou um no-break para os equipamentos da rede e alguns poucos servidores, na tentativa de minimizar o problema. Contudo, são equipamentos de menor potência e ainda não são suficientes para preservar a segurança das máquinas da Uerj e da Rede.

Também já foi iniciado um processo de compra de no-breaks para atender a mais servidores.              
Como essa compra também pode demorar, a Rede decidiu que o servidor do SophiA será ligado provisoriamente em espaços mais curtos de tempo, para preservar sua integridade e evitar problemas mais graves.

Lamentamos o transtorno.

Atenciosamente,
Rede Sirius

Enviado por Marcos Vasconcelos.

Webinar da Springer Nature falará sobre Plágio

O plágio vem adquirindo crescente relevância na divulgação científica. Com o advento da internet , tanto o ato de plagiar quanto o de sua detecção se tornaram mais fáceis. Devido a esse fato, a preocupação com essa má-prática também vem aumentado. Em um momento em que as universidades brasileiras buscam se internacionalizar e parte desse movimento implica a publicação em língua inglesa, uma discussão sobre o plágio no Brasil faz-se fundamental e premente. Este webinar pretende mostrar um panorama dos estudos sobre o plágio no Brasil em três aspectos: uma comparação entre as visões brasileira e anglófona, o tratamento dado ao plágio pela academia brasileira e os desafios que esse tema impõe a pesquisadores e pós-graduandos.

Plágio na Academia Brasileira: concepções, tratamento e desafios futuros

24 de novembro de 2016 das 14h às 15h30 (Brasília | BRT)

Registre-se aqui

A capacidade da sala é limitada a 100 participantes.
Garanta seu lugar conectando-se alguns minutos antes do início da sessão.

Este webinar será em português
Marília Ferreira é mestre em Linguística Aplicada pela Unicamp (2000), doutora em Linguística Aplicada pela Penn State University (2005) e pós-doutora pela Universidade de Bath (2013). Atualmente é professora livre-docente do departamento de Letras Modernas da USP, atuando tanto na graduação quanto na pós-graduação. Suas pesquisas se concentram em investigar o ensino-aprendizagem de língua estrangeira sob a ótica sócio-histórico-cultural e da atividade. Suas pesquisas têm se concentrado mais especificamente na investigação do letramento acadêmico em inglês e na promoção de seu ensino sob essa ótica. Fundou o Laboratório de Letramento Acadêmico em Línguas Materna e Estrangeiras da USP (http://letramentoacademico.fflch.usp.br/) em 2012, onde é coordenadora geral desde então.
Fique por dentro dos próximos webinars. Confira a programação em nosso website!
Esperamos vê-lo(a) em nossos webinars!

Enviado por Rosângela Salles.

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Múltiplas identidades na Galeria da Passagem, na Uerj

Pluralidade de escolhas e representações fazem parte da exposição “Plexo”, que passa a ocupar a Galeria da Passagem, no Centro Cultural da Uerj, a partir do dia 16 de novembro, às 18h. A mostra reúne composições gráficas produzidas por Camila Valladares, após pesquisa colaborativa em diversas mídias.

Objetos com relevante valor afetivo, como álbum de bebê, caderno antigo da avó, camisa pichada do colégio, cartas, entre outros, estruturam a poética da artista, que busca expressar a  relação do “eu” com o outro, e sua própria essência.

“O conjunto de olhares, leituras, hábitos culturas, histórias, memórias e registros que as pessoas podem oferecer acabam por evidenciar nossas representações, que são emaranhados de camadas ora frouxas ora firmes”, afirma Valladares, que incentiva intervenções do público, através de papéis deixados próximos às obras, para esse fim.

“Plexo” fica aberta para visitação até o dia 6 de dezembro, das 9h às 20h, de segunda a sexta-feira, na Galeria da Passagem, localizada no Centro Cultural da Uerj. A entrada é gratuita.

Serviço:

UERJ/SR-3/DECULT/COEXPA apresentam:
Exposição Plexo
Inauguração: 16 de novembro de 2016, às 18h
Visitação: até 6 de dezembro de 2016, das 9h às 20h
Local: Galeria da Passagem (Centro Cultural da Uerj)
Rua São Francisco Xavier, 524 – Maracanã – Rio de Janeiro
Informações: (21) 2334-0114
ENTRADA FRANCA






Enviado por Paula Vieira via Thainá Correa.